Quer conhecer o Grand Canyon? Conheça todas as formas de chegar lá

Está de malas prontas para Las Vegas, mas ainda tem dúvidas se deve ou não conhecer o Grand Canyon? Então esse artigo é para você!

Las Vegas foi construída no meio do Deserto de Nevada e é hoje um verdadeiro playground para adultos, com seus cassinos, hotéis, shows e atrações para todos os gostos. E não é só isso, os arredores da Cidade do Pecado também reserva surpresas quando o assunto é natureza exuberante.

Claro, é um panorama a perder de vista, sendo uma paisagem inesquecível. Assim que o seu avião estiver prestes a pousar no McCarran International Airport, o principal aeroporto da cidade, você vai ver o deserto que rodeia Las Vegas e ter um gostinho do que é esse cenário exótico e desconhecido para nós, brasileiros.

Agora, e se você soubesse que a menos de 200 quilômetros de Las Vegas, encontra-se uma das sete maravilhas naturais do mundo? Pois é, o Grand Canyon é reconhecido como uma das mais lindas paisagens criadas pela natureza no planeta.

Lá, é possível ver grandes cânions com profundidades vertiginosas que se alongam para além de onde os olhos alcançam. Além disso, o terreno é recortado pelo grande Rio Colorado, dando o toque final em um passeio imperdível!

Continue lendo e conheça tudo sobre o Grand Canyon. Aqui, você vai conferir as principais atrações e descobrir todas as formas possíveis de chegar lá!

1. Localização do Grand Canyon

Para começar, é importante saber o que é um cânion. Eles são vales rochosos com grandes desfiladeiros originados de erosão ao longo de milhões de anos. Esses vales se estendem por quilômetros e podem chegar a cinco mil metros de profundidade. Ou seja, são verdadeiros colossos naturais. O maior de todos é o Grand Canyon, localizado entre os estados americanos do Arizona, Nevada e Utah.

O Grand Canyon é dividido em três setores: Grand Canyon West, localizado a pouco menos de 200 quilômetros de Las Vegas; South Rim (ala sul), a mais ou menos 450 km de distância da Cidade do Pecado e a North Rim (ala norte), a mais ou menos 443 km de distância.

As alas sul e norte fazem parte do Parque Nacional Grand Canyon e atraem cerca de seis milhões de visitantes anualmente.

O South Rim é o mais popular e está aberto diariamente, ao longo do ano inteiro. Há atrações para todos os públicos como trilhas de vários níveis de dificuldade (algumas delas com acessibilidade para pessoas com dificuldades de locomoção), trilhas à cavalo ou mula, rafting no Rio Colorado, passeios de helicóptero, entre outras atividades.

Já o North Rim fica aberto apenas entre maio e outubro e é o menos procurado por causa do difícil acesso e por ter uma infraestrutura menos desenvolvida em relação aos outros quadrantes do cânion. O contato próximo com a natureza é um dos seus principais atrativos.

Ao contrário das áreas citadas acima, o West Rim não faz parte do parque nacional. Ele está fincado em uma reserva indígena, onde vive a tribo Hualapai. A tribo é a responsável pela administração desse setor do Grand Canyon. Ainda assim, é possível visitá-lo e, por ano, são mais de um milhão de visitantes no local.

Por estar mais próximo de Las Vegas, a uma distância ideal para fazer um bate-volta de dia inteiro, a ala oeste é a preferida de quem busca uma aventura mais rápida. Nela, é possível fazer passeios com duração entre três horas e meia e oito horas, dependendo do meio de transporte.

É nesta região que está localizada a famosa Skywalk, uma das atrações mais procuradas pelos turistas. Trata-se de uma passarela de vidro em formato de ferradura que conta com 21 metros de distância da borda do desfiladeiro. Aqui, também é possível conhecer um pouco da cultura indígena da região e até visitar uma cidade típica do Velho Oeste.

Alguns números para demonstrar a imensidão do Grand Canyon, o maior cânion do planeta!

  • Estimativas geológicas dão conta que o Grand Canyon começou a ser formado há quase 2 bilhões de anos. Já a erosão que originou as grandes paredes rochosas começou entre 5 a 6 milhões de anos atrás, o que a torna relativamente nova;
  • o Rio Colorado, que se estende por sete estados americanos e desemboca no noroeste do México, foi o responsável pela erosão que deu origem ao cânion;
  • o Grand Canyon se estende por 446 quilômetros de comprimento por 29 quilômetros de largura e tem profundidade máxima de 1857 metros;
  • o Grand Canyon National Park ocupa uma área de quase cinco mil quilômetros quadrados. A título de comparação, a cidade de São Paulo é três vezes menor, com 1.521 quilômetros quadrados de área.

Agora que você sabe a dimensão do Grand Canyon, é hora de conhecer mais sobre tudo o que essa maravilha natural tem a oferecer!

2. Atrativos do Grand Canyon

Ver o esplendor de uma das sete maravilhas naturais do mundo é um motivo e tanto para você incluir pelo menos um dia de passeio ao Grand Canyon no seu pacote de viagem para Las Vegas. A atração está tão perto da Cidade do Pecado que é até um desperdício não aproveitar para conhecer essas fascinantes estruturas rochosas! Se tiver mais tempo, então, melhor ainda. Confira abaixo alguns dos diferenciais das alas oeste e sul:

2.1 Atrativos do West Rim

Para começar, a localização. Por estar bem próximo de Las Vegas – mais ou menos duas horas e meia de carro – a viagem ao Grand Canyon West se torna indispensável. E as paisagens desérticas que você vai encontrar no caminho já valem o passeio, porque esse é um visual que nós, brasileiros, definitivamente não estamos acostumados. Ver quilômetros e quilômetros de deserto é indescritível!

O Grand Canyon West abre durante o ano inteiro. Entre abril e agosto, o complexo fica aberto entre sete da manhã e sete da noite. Já entre setembro e março os horários vão de oito da manhã a seis da tarde. O ideal é passar entre três e quatro horas para aproveitar com calma tudo o que o parque oferece.

Para chegar lá, há diversas opções de transportes. É possível ir de carro ou de ônibus e aproveitar as estradas muito bem cuidadas que ligam Nevada ao Arizona. Pode-se, ainda, ir de helicóptero ou avião, para uma viagem mais rápida e cheia de paisagens de tirar o fôlego, desde a vista aérea da própria cidade de Las Vegas, até o Deserto de Nevada, chegando na ponta oeste do Grand Canyon. Confira no item 3 do artigo essas opções em detalhes.

2.2 Atrativos do South Rim 

Para quem tem mais tempo para aproveitar o Grand Canyon, uma ótima sugestão é seguir viagem em direção à ala sul, a região mais visitada.

Situada a uma altura de 2133 metros acima do nível do mar, essa parte do cânion possui muitos mirantes para aproveitar as vistas mais deslumbrantes da região. Além disso, sua infraestrutura bem desenvolvida, com diversas opções de hospedagem, restaurantes, museus, centros de visitantes, trilhas e atividades variadas, como passeios a pé, de bike e até de mula, explica porque esse setor do parque é o mais procurado entre os turistas. A Grand Canyon Village é a base para quem fica na região. 

Na vila está localizado também o Centro de Visitantes do Grand Canyon. Ele serve como ponto de referência para diversas atividades na área, como os tours de helicóptero e ônibus panorâmicos, trilhas de caminhada, além de museus, cinema e muito mais!

3. Formas de chegar ao Grand Canyon

Os Estados Unidos da América são conhecidos por sua avançada infraestrutura de transportes, oferecendo boas estradas, malha ferroviária que liga o país de leste a oeste, aeroportos de pequeno, médio e grande porte. Por isso, não é surpresa descobrir que é possível chegar ao Grand Canyon de várias formas diferentes. Veja abaixo as melhores maneiras e comece a planejar a visita!

3.1 De carro

Quem não curte uma viagem de carro? Se for em ótimas estradas, então, melhor ainda! Esse é o caso das rodovias dos estados de Nevada e do Arizona, que você percorre ao sair de Las Vegas em direção ao Grand Canyon.

Se a ideia for ir até a ala oeste, você vai levar, em média, duas horas e meia para percorrer o caminho. No GPS, coloque que o destino final é o Aeroporto Grand Canyon West, local onde os carros ficam estacionados. Os visitantes contam com serviço de shuttle para se locomover entre o aeroporto e as principais atrações da ala oeste.

Mas se você preferir esticar o passeio até o South Rim, a viagem é um pouco mais longa, de aproximadamente quatro horas e meia de duração. É preciso ir na direção sul da Rodovia 93 até Kingman, Arizona. Depois, siga para leste da rodovia interestadual I-40 em direção a cidade de Williams, também no Arizona. De lá, é só pegar a Rodovia 64 para o norte até chegar à ala sul do parque nacional.

3.2 De ônibus

Para quem busca uma opção prática, mas ainda assim quer ter a experiência de conhecer as estradas norte-americanas, a dica é pegar um dos ônibus que fazem rota tanto para a parte oeste, quanto para a sul. Há várias opções de tours que incluem a entrada no parque, ingresso expresso para o Skywalk e outros passeios ao redor.

A Tripierge, empresa que atua em Las Vegas com atendimento em português, tem entre as suas opções de atividades um tour completo para o Grand Canyon West de van. Ir para o Grand Canyon com guia brasileiro, o passeio inclui paradas por atrações com a Hoover Dam, represa considerada uma das maiores obras da engenharia mundial, e pela antiga Rota 66, além de visitas ao Hualapai Ranch e caminhada pelo Eagle Point e pelo Guano Point. A duração do passeio é de oito horas.

3.3 De trem

Quer deixar a ida ao South Rim ainda mais interessante e cheia de charme? Então faça parte da viagem até lá de trem! Saindo de Las Vegas, o roteiro é o mesmo até chegar em Williams, Arizona, mais ou menos quatro horas depois.

É na cidade de Williams que saem os trens da região. Eles partem da estação diariamente às nove e meia da manhã e chegam no parque às onze e quarenta e cinco. À tarde, os trens partem de volta para Williams às três e meia da tarde. O passeio é incrível e vale muito a pena!

3.4 De helicóptero

Agora, se você quiser viajar em grande estilo e de forma rápida, a dica é fazer uma viagem de helicóptero para o Grand Canyon. A viagem de Las Vegas ao Grand Canyon West dura em média 45 minutos, e as paisagens são de tirar o fôlego!

Uma forma legal de aproveitar esse passeio é contratar um dos diversos tours disponíveis para quem tem pouco tempo, mas quer aproveitar o que o Grand Canyon tem de melhor.

A Tripierge, por exemplo, oferece um pacote VIP para quem quer conhecer o Grand Canyon em grande estilo. O passeio dura três horas e meia e começa com uma limousine que faz o transfer entre o hotel do cliente e o aeroporto. Embarque em um helicóptero de última geração e aproveite para ver a Strip de Las Vegas de cima.

Ao longo da aventura é possível ver o lago Mead, a Hoover Dam, o vulcão extinto conhecido como Fortification Hill e as incríveis paisagens do Deserto de Nevada. Além da vista privilegiada do Grand Canyon, outro ponto alto do passeio é descer 1200 metros às margens do Rio Colorado e saborear um piquenique com direito a espumante. Experiência inesquecível!

3.5 De avião

Se você busca rapidez e praticidade, a boa é chegar ao Grand Canyon de avião. São apenas 35 minutos entre o aeroporto de Boulder City, nos arredores de Las Vegas, até o Grand Canyon West. Dá para chegar em mais ou menos uma hora na ala sul do parque nacional.

Outra possibilidade é comprar uma passagem em uma companhia aérea comercial até o Grand Canyon Airport ou para a cidade de Flagstaff, no Arizona. Tanto no aeroporto, quanto na cidade, saem ônibus diretos para a Grand Canyon Village. Flagstaff também é próxima de Williams, de onde partem os trens da Grand Canyon Railway.  

4. O que fazer no Grand Canyon

4.1 Grand Canyon West

Skywalk

Como foi dito, a principal atração da ala oeste é a Skywalk, inaugurada em 2007. A atração consiste em uma passarela de vidro que avança em direção ao vale em 21 metros, a mais de 1200 metros de altura.

A estrutura transparente proporciona a sensação quase real de estar voando sobre os desfiladeiros. Por ser de vidro, ela também oferece uma visão panorâmica bem diferenciada do cânion.

Dentro do prédio do Skywalk você também vai conhecer um pouco da história do povo Hualapai, suas tradições e a ligação que eles têm com esse pedaço de terra.

Eagle Point

Do Skywalk é possível avistar a Eagle Point, uma formação rochosa sagrada para o povo Hualapai. Essa rocha com formato de águia com as asas abertas, foi esculpida pela natureza e é um dos pontos mais famosos da região.

Guano Point

Um dos mirantes mais incríveis de todo o Grand Canyon, o Guano Point oferece uma vista de 360 graus do cânion e do Rio Colorado que é de tirar o fôlego. Para acessá-la, basta seguir a trilha de Highpoint. No caminho, você vai descobrir também os restos de um bonde que se estendeu por mais de 2500 metros de altura até a antiga mina de Guano. Aproveite para conhecer joias e artesanatos produzidos pelo povo Hualapai e para interagir com membros da tribo indígena.

Hualapai Ranch

Outra atração imperdível é o Hualapai Ranch, recriação de um vilarejo típico do Velho Oeste que tem aquele ar de cidade-fantasma de filme de faroeste. Além disso, os visitantes podem apreciar as apresentações de danças típicas do povo Hualapai e comprar peças de artesanato local.

Peach Springs

Para quem vai esticar o passeio da ala oeste para a ala sul, a sugestão é parar no meio do caminho para conhecer Peach Springs. A cidade possui edificações que fazem parte da histórica Rota 66, como o posto de gasolina John Osterman Shell Station e a agência postal Historic Peach Springs Trading Post, construída em 1928 e reconhecida como patrimônio histórico americano desde 2003.

Ali perto, a mais ou menos 20 quilômetros, você também vai encontrar algumas das maiores cavernas secas dos Estados Unidos. Quem comprar um dos tours oferecidos no Grand Canyon West vai poder descer até 90 metros abaixo da superfície e andar em uma trilha pavimentada para ver em detalhes as formações geológicas.

4.2 South Rim

A ala sul do Grand Canyon faz parte do parque nacional de mesmo nome e é o paraíso para quem ama fazer trilhas e ter contato direto com a natureza. Além de extensas caminhadas em caminhos com vários níveis de dificuldade, é possível passear de bicicleta, de cavalo e até de mula!

Centro de Visitantes do Grand Canyon

Ele é a primeira parada quando você entra pela parte sul do parque. São disponibilizadas cinco áreas para estacionamento, centro de informações turísticas para conseguir mapas para todas as trilhas do parque, pontos de ônibus gratuitos para chegar aos mirantes (caso você não queira ir a pé), lojas de conveniência e souvenirs, restaurantes, museus e até um cinema IMAX, com um filme de 34 minutos sobre o Grand Canyon e suas atrações.

Rotas cênicas

Para quem ama colocar o pé na estrada ou quer conhecer mais lugares em pouco tempo, a dica é seguir de carro ou aproveitar o serviço de ônibus gratuito nas rotas cênicas que cortam a ala sul do Grand Canyon. Ao longo do caminho é possível avistar lindas paisagens e parar para caminhar por dentro das trilhas do parque. Conheça abaixo duas delas e aproveite!

Hermit Road

A Hermit Road é uma rota cênica de 11 km de extensão, construída em 1912, entre a Grand Canyon Village e a Hermits Rest. A estrada é acessível para ônibus de turismo, bicicletas e carros de passeio (os automóveis particulares só podem circular durante o inverno, entre os meses de dezembro e fevereiro).

Uma forma prática de conhecer essa rota é utilizar o serviço de ônibus no estilo Hop-on Hop-of, oferecido entre março e novembro. O ônibus panorâmico possui paradas em nove mirantes, entre eles Mohave Point e Hopi Point, dois ótimos locais para aproveitar o pôr do sol na região. Outra parada obrigatória é o The Abyss (O Abismo, em tradução livre), onde é possível avistar o penhasco de quase 1000 metros de profundidade da Plataforma Tonto.

Desert View Drive

Localizada na entrada leste do parque nacional, a Desert View Drive se estende por 40 km ao longo do South Rim. Nesse caminho é possível visualizar seis mirantes. Ele também tem quatro áreas para piquenique, trilhas bem sinalizadas e o Tusayan Ruin and Museum, onde é possível visitar ruínas dos povos que viveram na região há mais de 800 anos e artefatos indígenas com mais de dois mil anos de história.   

Entre as paradas mais populares da rota estão a Mather Point, situado a mais de dois mil metros do nível do mar que oferece uma das vistas mais incríveis da região e a Grandview Point, um dos pontos mais altos de todo cânion, a incríveis 2286 metros de altura.

Aproveite também para visitar a Desert View Watchtower, torre de observação construída em 1932 tendo como inspiração torres indígenas pré-históricas. De lá, você pode conferir algumas das vistas mais amplas e impressionantes do Grand Canyon.

A Desert View Drive é acessível por carro e pelos ônibus gratuitos que saem do Centro de Visitantes do Grand Canyon na entrada sul do parque nacional.

Gostou de conhecer em detalhes as principais atrações do Grand Canyon? Aposto que você está com vontade de descobrir tudo ao vivo!

Se você só tiver um dia, vale a pena aproveitar um tour de oito horas pelo Grand Canyon West. Mas se o objetivo é desbravar ainda mais essa maravilha natural, o indicado é reservar pelo menos dois dias. Assim, você terá mais tempo para aproveitar tudo o que o destino oferece. 

Quer incluir na sua viagem a Las Vegas um passeio pelas espetaculares paisagens do Grand Canyon? Então não deixe de conhecer os tours oferecidos pela Tripierge. A empresa dispõe de atividades com guias brasileiros e pacotes variados para você viver grandes momentos no Grand Canyon. Entre em contato conosco e organize o passeio dos seus sonhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *